Dicas de viagem ao Parque Nacional Serra da Capivara e Chapada das Mesas

Estas dicas foram baseadas em viagem feita por Brites (Rio/RJ), Ronald (São Paulo/SP) e Luiz (JF/MG) no período de 13/09 a 25/09/2017.
Para o PNSC são necessários 3 dias completos. Para Chapada das Mesas são necessários 4 dias completos.
Colocar um dia viagem Teresina x SRN (520 km).

2 dias de viagem de SRN x Carolina – 781 km (convém quebrar viagem e dormir na divisa de Piauí com Maranhão na cidade Uruçuí/PI – SRN x Uruçuí = 371 km e distancia Uruçuí x Carolina = 410 km).

Meio dia de viagem de Carolina para Imperatriz (250 km).

ATENÇÃO: Quando fizemos a viagem, as estradas estavam muito boas. Quando fizer, favor verificar se as estradas continuam em bom estado de conservação procurando relatos atualizados no Google.

Caso queiram fazer também o Parque Nacional da Serra das Confusões (wikipedia – A área desta unidade ainda encontra-se em estado primitivo, com inúmeros sítios arqueológicos em suas cavernas e grutas, inclusive apresentando litogravuras nos paredões rochosos de grande valor histórico, científico e cultural. Ela é assim denominada por mudar de configuração de acordo com a iluminação do dia. O parque tem vários tipos de vegetação e clima”), também no Piauí, este fica na cidade de Caracol/PI distante 87 km de SRN. Pode-se ficar hospedado na cidade de Caracol – pousadas ruins e poucas – (a melhorzinha é a Pousada da Edinéia – procurar no facebook) – ou ficar hospedado em SRN e ir e voltar, pois estrada está ótima. (Hotel Serra da Capivara foi onde ficamos hospedados – R$150 quarto duplo com café da manhã- 89-3582-1654 e WhatsApp 74-99967-8430. Esse hotel pertence ao governo estadual e é arrendado. O arrendatário anterior detonou o hotel. O atual está desde agosto/2017 e, aos poucos, está levantando-o. Tem ótima estrutura e vale à pena ficar, porém não aceita cartão de crédito e/ou débito – só no dinheiro).

Caso façam a Serra das Confusões serão necessários mais dois dias completos. Em um dia será usado carro alugado normal. No outro terá que contratar carro 4 X 4 para fazer as atrações. Contratação de guia obrigatório – Dica Emerson (cobrou R$100 por dia para o grupo – só no dinheiro) – e o carro 4X4 custou R$350 (só no dinheiro) que caiu para R$300 (só no dinheiro) para o dia inteiro e para o grupo.

Essas dicas da Serra das Confusões foram passadas pela Brites que fez o parque com o Ronald. Eu não fui. Mas é só chegar lá que o guia diz quais são as atrações, mas na Serra das Confusões tem que gostar e ter preparo para caminhar.

 

PARQUE NACIONAL SERRA DA CAPIVARA 

Cidade base: São Raimundo Nonato (SRN)/Piauí) 

  • Condição para fazer esse passeio é alugar carro – ideal 4 pessoas ou sempre múltiplo de 4 para reduzir custos. Aluga em Petrolina/ Pernambuco ou Teresina /Piauí. (Sandero 1.0 com AR e direção hidráulica – custo de 17 dias com 3 motoristas habilitados a dirigir; seguro básico e com cobrança extra para entrega do carro no aeroporto de Imperatriz no Maranhão foi de R$2.100 total (parcelou em 10 X) e deu R$700 pra cada um). Alugamos na MOVIDA no aeroporto de Teresina. Fundamental alugar carro com AR e direção, pois vai pegar muita estrada de asfalto, de terra e dirigir muito. Não precisa alugar carro 4×4
  • Existem locadoras de carro nos aeroportos de Teresina e Petrolina. Não existe locadora de veículos em São Raimundo Nonato(SRN)/Piauí e nem em Carolina /Maranhão.
  • Escolher sempre locadora que tenha como pegar e entregar veículo nos aeroportos de entrada e saída, dependendo de qual caminho vai querer fazer.
  • Colocar hora de entrega do carro duas horas antes do horário do voo da volta e, para alugar, coloque 30 minutos após horário previsto de chegada.
  • Distância Petrolina x São Raimundo Nonato (SRN)/Piauí é de 300 km, porém em setembro/2017, um trecho de 40 km na cidade de Remanso, na Bahia, estava péssimo, enquanto que o restante da estrada Petrolina x SRN está excelente. Em virtude desse “problema” da estrada que vem de Petrolina, preferimos vir de Teresina – 520 km até SRN – que está com as estradas até SRN em ótimas condições. Logo nosso voo foi de Teresina e volta por Imperatriz, no Sul do Maranhão.
  • Todas as estradas que pegamos estavam excelentes, bem sinalizadas e com radar somente quando passamos nas cidades, porém não dirija a noite NUNCA! Cuidado com animais soltos e muito mais cuidado com possibilidade de assaltos. Desconfie de motos, carros que seguem por muito tempo, bem como nas paradas. Não dê mole. Nunca puxe dinheiro inteiro e nem mostre que está com dinheiro. Sempre que for passar cartão de crédito/débito verifique o valor que está digitado antes de digitar senha, e, claro, nunca se afaste de seu cartão.
  • Leve muito dinheiro trocado, inclusive de R$2,00 e moeda de R$1,00. A picaretagem com os turistas (EM QUALQUER LUGAR DO PIAUÍ E MARANHÃO) é constante. Comércio/guias/bares/restaurantes, etc nunca têm troco pra nada, de maneira que te obriga a arredondar sempre pra cima. Por exemplo, vai pagar R$7,00 com R$10,00, é mais fácil Jesus Cristo voltar a Terra do que aparecer R$3,00 de troco. É sério.
  • Pergunte sempre se aceita cartão de crédito e/ou débito antes de fazer qualquer coisa, pois se você vai a um lugar, por exemplo, e entrar em um complexo turístico, eles querem sempre receber em dinheiro e não falam que aceitam cartão, ou a máquina está sempre sem papel. De qualquer maneira há lugares que realmente não aceitam cartão e, por conseguinte, tem que ter o dinheiro em espécie mesmo.
  • Pergunte sempre nas entradas se há desconto para estudantes e maiores de 65.
  • Veja sempre se há alguma particularidade na entrada, por exemplo, na Cachoeira de Itapecuru, em Carolina, de segunda a sexta o turista tem desconto de 50%, exceto feriado e fins de semana, além, é claro, de desconto de 50% para quem é estudante ou maior de 65
  • Melhor época para fazer é entre abril a outubro (seca). De novembro a março é estação das chuvas e a água na Chapada das Mesas fica barrenta, já na Serra da Capivara a visão do parque seria outra, também legal, com tudo verdinho, mas para casar os dois , tem que fazer na seca.
  • Obrigatório guia para entrar no Parque Nacional da Serra da Capivara. E são excelentes – instruídos e sabem contar toda história da região – e se não fossem eles as pinturas rupestres já teriam sumido. Indico guia Wilk Amorim Lopes – WhatsApp 89-98130-0291 e mail (wilkamorimlopes@hotmail.com). Cobrou R$150 por dia (só no dinheiro) para o grupo e usou nosso carro para se deslocar de SRN (não precisa de 4X4) para as entradas no Parque e dentro dele. O ingresso custa R$16 por pessoa/dia só no dinheiro. Três dias são suficientes. Monte atrações com o guia (peça para ir à cerâmica), conforme interesse. Como estávamos com tempo, perguntamos ao guia quantos dias seriam necessários para conhecer o parque todo, e foi sugerido 4 dias, mas 3 são suficientes, porém se estiver com tempo, vale à pena fazer os 4 dias.
  • Recomendo muito visita ao Museu do Homem Americano em SRN (horário restrito – procure no site do museu). Aqui está fora do parque e não precisa de guia para vir aqui. Pode ser feito em algum intervalo ou em uma chegada ou saída, mas não o inclua durante os 3 dias completos. Ideal é fazer antes, pois dá uma ideia do que vai ver no parque.

 

Museu do Homem Americano

  • Recomendo também a visita noturna para ver as pinturas rupestres iluminadas. Um show (informe-se com o guia). Você fica dentro do parque e espera anoitecer. Não precisa pagar outra entrada, porém tem que pagar a iluminação. Até dez pessoas custa R$50,00 pros 10 (só no dinheiro). Se tiver 3, 4, 5 etc pessoas vão pagar R$50,00 e o esse valor é para o grupo. Mais de dez pessoas, aí cada pessoa a mais vai pagando R$5.

 

Símbolo do parque

  • Levar sempre lanchinho de trilha e água mineral comprada em garrafa pet. Não convém pegar água da torneira e colocar comprimido de cloro  (clor-in ou hidroesteril) para tornar água potável, pois a água é muito pesada e é um soco no estômago bebê-la. Inclusive para banho leve sabão de coco, pois sabonete não faz espuma. Use muito protetor solar, caminhe com camisa de manga comprida e bota ou tênis, bem como boné de aviador que é aquele que protege orelhas e pescoço, e, claro, óculos escuros. Evite roupas de cores fortes para não espantar animais. Prefira as cores branco/ocre e/ou cinza. O local é mágico e o silêncio é constante, assim sendo, falar baixo é recomendado.
  • O Parque é muito organizado e afirmo que junto com o Parque Nacional onde estão as Cataratas do Iguaçu devem ser os melhores parques do Brasil.
  • Em SRN só tem o Banco do Brasil, aliás, visitar interior do Brasil é obrigatório ter conta no BB. Às vezes se acha Caixa e/ou Bradesco, porém BB é certo. Informe-se sempre que horas fecha o hall dos caixas eletrônicos e não deixe para pegar dinheiro nos fins de semana, pois pode acabar e só reabastecem na segunda.
  • Para comer, recomendo o bar Time Conveniência, no centro de SRN – preços excelentes e comida ótima – Praça Major Toinho, 372 – Centro, São Raimundo Nonato – horário 07h30 – 23h00 – tel 86-98101-0184. Aceita cartão crédito/débito.
  • Experimentem Cajuína em SRN. É feita de caju. É doce, sem gás e sem álcool, mas se tomar bem gelada, coloque água com gás, também gelada e gelo. A bebida fica uma delícia. Em Uruçuí e Carolina não tem.

 

Pinturas rupestres no Parque Nacional Serra da Capivara

 

 

Saída de SRN/PI para Uruçuí/PI – 371 km

Primeiro dia de viagem de SRN para Carolina

  • Sair de manhã cedo.
  • Dormir em Uruçuí.
  • Hotel Fórmula Flat -89 – 3544-3169/ 89-98809-1010 e 89 – 98866-3912. Excelente preço (R$120 o quarto duplo – R$60 pra cada um, com bom café da manhã e estacionamento grátis). Fica a 2 km antes da entrada de Uruçuí. É tipo um Ibis em miniatura.
  • Vão chegar no meio da tarde. Vão até beira do rio e procura algum lugar para comer. Contrata uma lanchinha, que faz o transporte entre as margens, e vão conhecer o encontro dos rios. É perto e rápido. Cobraram R$10,00 pelo passeio e não foi por pessoa, foi para nós 3. A noite pode voltar aqui para comer peixe na beira do Rio. Também nessa cidade tem uma sorveteria muito boa. Sorveteria Vó Eunice – Tome sorvete de frutas típicas da região, aliás, única maneira de prova-las, pois “in natura” não existem mais.

 

Saída de Uruçuí/PI para Carolina/MA – 410 km

Segundo dia de viagem de SRN para Carolina

Fomos de Uruçuí direto para Carolina, mas depois descobrimos que tem coisa melhor.

Dica: Só façam isso que está escrito abaixo se conseguirem reservar pousada dentro do Complexo Poço Azul. Caso não consigam, reservar pousada na cidade de Riachão (ruim) ou então ir direto para pousada em Carolina (Pousada do Lajes) e vir ao Poço azul no dia seguinte. Se acontecer isso, aí no dia do Poço Azul e Santa Bárbara, vai ter que fazer também o Poço Encanto Azul, logo tudo muito corrido.

AHHHH… Já saiam de Uruçuí com roupa para banho e vestidos: biquíni/sunga.

  

CHAPADA DAS MESAS 

Cidade base: Carolina/Maranhão

 

Segundo dia reservado para viagem de Urucuí para Carolina (vai aproveitar e fazer o Poço Encanto Azul). 

Poço Azul

A principal atração da Chapada das Mesas chama-se Poço Azul que fica na cidade de Riachão/Ma. Esta fica a 100 km antes de chegar a Carolina vindo de Uruçuí. Você vem pela estrada e na cidade de Riachão (não lembro se a entrada para o Poço Azul, para quem vem de Uruçuí para Carolina, é antes ou depois de Riachão – procura no Google).

Ao sair da estrada, ainda vai pegar uns 15 km de asfalto em estrada vicinal, mas depois vai virar à direita (tem placa discreta) e vai pegar estrada de uns 30 km de terra até o Complexo Poço Azul. Não a pegue a noite. Não precisa de 4 x 4. O carro comum chega lá.

O Poço azul fica no Complexo turístico Poço Azul. Tem hospedagem e restaurante (liga e pergunta que horas fecha restaurante), mas tem que reservar hospedagem (99 – 98847-1289 e WhatsApp 99-98820-1773). Não venham aqui nos fds, pois lota, lota mesmo.

Façam de uma maneira que cheguem aqui na segunda-feira ou outro dia semana (menos sábado e domingo). A vantagem de dormir aqui é que na diária pousada já está incluso a entrada que custa R$50,00 por pessoa – se tiver direito, pague meia (aceita cartão de crédito/débito para a entrada). Deve aceitar para pagar a hospedagem também – confirmar. No restaurante aceita cartão de crédito e débito).

Saiam cedo de Uruçuí e vão chegar na hora almoço (13h) na porta do Complexo Poço Azul (comam um lanche na estrada e rápido, pois não vai dar tempo de almoçar nesse dia). Antes de se hospedar, deixe tudo no carro e contrate uma 4 X 4 que fica na porta do Complexo Poço Azul para ir ao Poço Encanto Azul. Neste o carro comum não vai. Cobram 20,00 por pessoa (só dinheiro). Fica uns 15 km de distância do Poço Azul. A pessoa que faz o transporte no 4×4 te deixa lá e marca uma hora para buscar. Pode marcar de 2 a 3 horas para buscar vcs, dependendo do numero de horas que se tem disponível na parte da tarde.

Poço Encanto Azul

Esse Poço Encanto Azul também paga. A entrada é R$15,00 ou R$30,00 (não lembro) e aqui só aceita dinheiro. Se tiver direito, também paga meia. Aqui não tem nada pra comer. Só vende água, cerveja e alguns doces. Não aceitam cartão de crédito/débito para nada. O importante é chegar entre 13h e 14h nesse Encanto Azul, pois o Sol estará em cima dele (fica na base do interior de um Cânion) e os raios de Sol batem na água e refletem nas rochas. Muito show. Dá pra tomar banho legal nesse Encanto Azul.

Voltem e aí se hospedem dentro do Complexo Poço Azul. Quando fizer a reserva, perguntem se o restaurante funciona a noite. Se não funcionar, tem que agitar algum lanche para comer a noite. Tem que levar tudo de Araçuí/PI, pois nesse local não existe nenhum comércio. Para qualquer coisa que não tenha dentro do complexo Poço Azul, tem que voltar à cidade de Riachão, que está a uns 45 km (30 km de terra e uns 15km de asfalto). Não peguem essa estrada à noite, nunca.

O Complexo do Poço Azul é muito bem estruturado e muito bonito. É nele que vcs farão o Poço Azul e a Cachoeira Santa Bárbara. Muito fácil de chegar. Anda-se em plataformas de madeiras até as atrações. O ingresso dá direito tudo.

Primeiro dia: Poço Azul e Santa Bárbara.

 Acordem bem cedo no dia seguinte, tomem café e vão ao Poço Azul. É super perto e dentro do complexo, mas desce um bocadinho até chegar lá. Vão de biquíni e sunga para tomar banho nele. Não precisa protetor solar. Tem muita sombra. Ao chegar cedo, o poço está azul. Quando bate o Sol a água fica verde. Esse local é show e é o mais bonito da Chapada das Mesas. Aproveitem, tomem banho à vontade e depois vão para a Cachoeira Santa Bárbara que também está muito perto e dentro do complexo. Na Santa Bárbara, que é uma queda d’água de uns 70 metros, também dá para tomar banho, mas é melhor tomar banho no Poço Azul.

Voltem, almocem (a lá carte, + ou – R$65 para dois e aceitam crédito e débito), se arrumem e vão embora. Calcule sair desse lugar umas 16h para chegar ainda claro em Carolina. Vocês tem que administrar o tempo nessas duas atrações. Vai ter até outra cachoeira pequena antes de chegar ao Poço Azul, mas não perca tempo nela.

 Nós não conhecíamos esse esquema e fomos direto para Carolina, para no outro dia voltar aqui, ou seja, 290 km (ida e volta de Carolina) a mais e à toa.

Saída do Poço Azul (Riachão) para a cidade de Carolina – 145 km.

Em Carolina, é tudo muito perto e carro chega ao lado da maioria das atrações. É o local que dá pra levar pessoas que não tem o hábito de caminhar.

  • Hospedem-se na Pousada do Lajes. Muito boa. Excelente custo benefício (R$212 o quarto duplo – 106 pra cada um – com café da manhã). Uma graça de pousada. Tem piscina, ar, frigobar e estacionamento gratuito. Fica um pouco antes de chegar na cidade, do lado direito – uns 2 km antes, na beira da estrada. Tel. 99-3531-2452 e 99-98122-0315 – mail: pousadadolajes@yahoo.com.brpousadadolajes.com.br Aceita cartão de crédito e débito.
  • Comam em Carolina no restaurante Mocotozin, do Dedeco. Rua Cidade Grajaú, 174, Carolina. Único com Ar condicionado na cidade. Aceita cartão de crédito e débito. Só não abre segunda a noite, mas abre segunda pra almoço. No resto dos dias funciona para almoço e janta. Bons preços e comida saborosa. O Dedeco é uma simpatia e dá muito boas dicas. WhatsApp 99-99194-8127. Experimentem no restaurante uma cocada que vende em um pote (R$5) que é uma delícia.

Segundo dia: Cachoeiras São Romão e Prata.

  • Na Pousada do Lajes pode contratar o passeio para as Cachoeiras São Romão e Prata, pois é o único passeio que precisa de 4×4. Carro normal NÃO VAI LÁ. NÃO INSISTA. Eles tem parceria com a operadora Cia do Cerrado 99-3531-3222 e WhatsApp 99-98122-0316 ciadocerrado.com.br O preço varia de R$500 a R$600 para o grupo, não é por pessoa. Dependendo do movimento e da pechinchada, cai, mais dificilmente cai pra menos de R$500. Quanto mais gente, mais rateado fica. Só aceita dinheiro. Existem outras operadoras, ai é questão de procurar no centro de Carolina, mas acredito que o cartel das operadoras atua em conjunto tabelando o preço.
  • Feito esse passeio com a operadora, não precisa deles para mais nada. Preste atenção que na Chapada das Mesas não é obrigatório a contratação de guia. Apesar disso, eles vão forçar uma barra pra contratá-los para fazer tudo (R$150 o guia por dia), falando que existe lei Municipal que obriga contratação de guia para ir com você até no banheiro. Nunca mostram essa Lei. Aqui a sensação que você tem é que querem extorquir o turista a qualquer preço, com exceção do Dedeco, do restaurante Mocotozin, que tem um atendimento de pai pra filho, e da Pousada do Lajes.
  • O Parque Nacional da Chapada das Mesas nem portaria tem. As atrações ficam dentro de propriedades privadas e se chega até aos locais com o seu carro, com exceção da Cachoeira São Romão e Prata, assim sendo… fiquem espertos.
  • No passeio às Cachoeiras de São Romão e Prata (4×4), além do que vai pagar na agência, também paga as entradas. R$30 na São Romão e R$15 na Prata (só aceita dinheiro). Se tiver direito, paga meia, mas nunca falam. Você tem que exigir pagar 50%, claro, se tiver direito. Vão forçar uma barra para agendar almoço na São Romão – R$30 por pessoa -, antes de sair de Carolina. Não precisa. Toma um bom café da manha, leva uma fruta e uma barrinha de cereal malocada na bolsa e disfarça a fome durante o dia. Deixa pra comer legal no Mocotozin quando voltar. Para adiantar, pode deixar carro lá na rua do Mocotozin na cidade. Marque com o 4×4 pra pegar lá e na volta já desce lá, come e aí vai pra pousada tomar banho e descansar. Esse seria o segundo dia de Carolina.

Cachoeira São Romão.

Cachoeira da Prata

 Terceiro dia – Complexo turístico Pedra Caída

  • “Santuário Ecológico Pedra Caída” – BR 010 – KM 69,5 – Zona Rural – Carolina – MA. Telefone: 99-3531-2426  pedracaida.com Não precisa de guia externo aqui pra nada, pois lá dentro tem guia pra tudo e que são funcionários do empreendimento, aliás, você só anda lá dentro com eles e já está pago no valor do ingresso.
  • Esse local é um resort no meio de uma paisagem selvagem. Incrível a combinação que conseguiram. Aceita cartão de crédito e débito para tudo. Você ganha uma pulseira na entrada e vai passando direto lá dentro para pagar tudo no final. Muito cuidado, pois pode ficar muito salgada a conta. O ingresso só para entrar é R$ 60.  Meia aqui, pra quem tem direito, só o ingresso, o resto, lá dentro, é tudo valor cheio.
  • Existem 4 passeios:
    1º Cachoeira Caverna e Capelão – R$50,00 por pessoa as duas.
    2º Cachoeira do Santuário – R$30 por pessoa.
    3 º Caminhada Pedra Caída e outro que não lembro. Não dá para fazer os 4 no mesmo dia. Se voltar no outro dia terá que pagar novo ingresso…
  • Nós só fizemos os passeios da Cachoeira da caverna e capelão, bem como, a cachoeira do santuário. Ah…Essa sim um espetáculo. Imperdível e até é barata – R$30 – pelo esplendor que é. Apenas vá. Leve um saco estanque para o celular e/ou maquina. Compre em Carolina um saco estanque para o celular que custa R$15 em uma loja chamada Novo Estilo. Ele permite que se acione a tela para filmagem/fotos e protege legal da água, desde que se tenha certeza que lacrou bem. Se esquecer de comprar, sem problema, lá na pedra caída vende, mas deve ser uns R$50.

Cachoeira do Santuário

  • Chegue cedo aqui e faça primeiro as Cachoeiras da Caverna e do Capelão. Ai enquanto o pessoal vai almoçar, vá fazer a Cachoeira do Santuário. É nessa hora que ela fica vazia, quando o Sol bate em cima do Cânion, onde se caminha para chegar até ela. Fenomenal. Deixe para fazer a ponte suspensa na volta da Cachoeira do Santuário, pois está incluído no passeio. Não vale a pena almoçar aqui. Mesmo esquema da cachoeira São Romão: bom café na pousada, uma fruta e barra de cereal. Aproveite a piscina, linda, e relaxe. Volte para Carolina (fica a uns 30 km de Carolina) no fim da tarde e jante no Mocotozin. Na Pedra Caída pode tomar banho e trocar de roupa. Isso aqui é um verdadeiro resort (tem tirolesa, teleférico, pirâmide etc). Também pode se hospedar na Pedra Caída, mas é caro (apto standard – casal 380. Apto luxo – casal 440, mas aí não paga o ingresso).
  • AHHHHH: Nunca vá na Pedra Caída em feriados, sábado e domingo, pois lota. Tipo 15 ônibus excursão e umas 20 Van. Aí vira inferno. Entendeu ou quer que eu desenhe? Tá avisado.

Quarto dia – Cachoeira Itapecuru + Recanto das Famílias + Portal da Chapada

  • Cachoeira Itapecuru (R$30 e só aceita dinheiro). Aqui qualquer turista, de 2ª a 6ª, sem ser feriado, paga R$15. Quem tem direito a meia, paga R$15 qualquer dia.
  • Complexo Turístico Recanto das Famílias, um rio represado e bom local para comer e relaxar – custa R$15 e aceita cartão de crédito para tudo.
  • Portal da Chapada no fim da tarde (R$10 e só no dinheiro).
  • A cachoeira Itapecuru é o pior complexo. É bonita, apesar da intervenção no rio (fizeram uma plataforma de concreto dentro do rio para colocar mesas. É phoda). Vale ir lá para tirar uma foto e ir embora.
  • Vá para o Recanto das Famílias, pois aqui vale almoçar. Os preços não são abusivos e passa o resto do dia lá tomando banho até uma 16h30.
  • Aí vai para o Portal da Chapada e vê o Pôr do Sol. Para subir o morro, leva um tênis, pois caminha na areia e subindo morro.

Extra se der para encaixar nos quatro dias

(Não vale ficar mais um dia para fazer isso)
Existe uma cachoeira chamada de Dodô. Para chegar lá tem que ir pro Chico do Dodô, que é uma estrutura bem simples. Até fomos lá, pois o carro comum vai. Tem muito mais areia e tem que saber dirigir para não ficar preso, mas ainda assim não precisa de 4×4. Custa R$10. Não conhecemos, pois qdo chegamos, havia um ataque de abelhas e estava um tumulto só. Se tiver tempo…Boa sorte. Não posso opinar, pois não conheci.

Considerações finais:

  • Guiamo-nos na Chapada das Mesas por esse site. As dicas eram recentes, ou seja, 2015. A única diferença das imagens é que eles fizeram os passeios embaixo de chuva, enquanto nós fizemos embaixo de Sol show.
  • Existe uma senhora que vende doces em Carolina chamada Inácia. Vende na casa dela. Se tiver curiosidade, vá, mas os doces são caríssimos. Acha-se produtos semelhantes por 1/3 do preço que a Dona Inácia cobra.
  • Todas as fotos nesse arquivo são de minha autoria – LHMoreira. Para mais imagens, digite o nome das atrações acima no Google. Na parte imagens, que vocês terão ideia as maravilhas que são PARQUE NACIONAL SERRA DA CAPIVARA E CHAPADA DAS MESAS.
  • Operadora de telefonia que funcionou legal durante toda viagem foi a VIVO. A CLARO muitas vezes deixou na mão, principalmente em Carolina/MA.

BOA VIAGEM E DIVIRTAM-SE.

Texto escrito pelo Luiz Henrique Moreira, Juiz de Fora/MG.

Deixe um comentário