Mont Blanc limitará número de turistas diários

A partir de 2019, as autoridades francesas reduzirão o número de turistas que querem ir ao Mont Blanc sem um guia de montanha pela rota normal. O motivo disto é a superpopulação e os frequentes problemas associados a isto como a degradação ambiental e superlotação dos albergues. Limitando o número de turistas, as autoridades querem evitar acidentes, entre outras coisas,  na montanha mais alta da Europa.

As novas regras ainda precisam ser esclarecidas, mas até agora está certo que a permissão só permitirá 214 turistas por dia a partir do próximo verão. Além disso, os alpinistas provavelmente também precisarão de reserva nos refúgios.

“Isso é lógico. Queremos que o número de pessoas indo para o Mont Blanc corresponda ao número de lugares nos alojamentos”. Disse Jean-Marc Peillex, prefeito de Saint-Gervais-les-Bains, onde começa a rota clássica da montanha de 4810 metros de altura. Segundo Peillex, a licença deverá ser gratuita.

Todos os anos, cerca de 25.000 pessoas vão ao pico mais alto da Europa. Especialmente em julho, durante a onda de calor, devido ao grande número de turistas, derretimentos do gelo e quedas de blocos de pedra, ocorreram muitos acidentes, de acordo com o jornal Le Monde.

Ataques e roubos são frequentes

Peillex vem lutando pela cota alpina desde 2003. “Naquele ano, fomos ao cume com o prefeito da região e desembarcamos no campo de excrementos e urina”, disse o prefeito. “Isso tudo deixado para trás pelos turistas contamina o gelo e derrete no calor. Algumas pessoas não respeitam a natureza “, acrescentou.

“Muitos turistas não se importam. Eles virão para o Mont Blanc e não respeitarão outros alpinistas”, disse Peillex. “Estamos preocupados com grupos de ladrões que empurram ou ferem os outros. Alguns guias também foram atacados. O terraço foi roubado no refúgio Goûter. E levaram até algumas botas. O helicóptero teve que levar o alpinista que ficou sem os calçados”, disse o prefeito.

Todos os dias, o Mont Blanc recebe de 300 a 400 turistas. Dois terços dos quais não têm guia de montanha. Em 75 por cento dos casos, a cidade de Saint-Gervais-les-Bains é o ponto de partida dos alpinistas.

Estas novas regras, de acordo com a mídia francesa, foram decididas com todas as partes interessadas: a guarda alpina, uma espécie de unidade especial treinada para este terreno, a federação de clubes alpinos, a prefeitura do Haute Savoie e a associação guias.

Deixe um comentário