Fases da lua

Lua de Mel de Aventura

Dia 03/01/2002 – Chegando em Palmas:

A nossa preparação para esta viagem foi bem corrida em virtude de estarmos chegando de uma outra viagem, Simone e eu estávamos em Boa Esperança no sítio do meu cunhado passando o Reveillon. Compramos os nossos mantimentos no dia 2 e arrumamos as mochilas no mesmo dia, ficamos sem dormir e chegamos a rodoviária às 4:00 da manhã, fomos até Mangaratiba e pegamos um barco para Palmas, que parecia ter sido fretado por nós, já que só havíamos nós dois no barco. Continue lendo Lua de Mel de Aventura

Ilha Grande, muito grande

Essa viagem já tinha sido marcada desde o início do ano pelo meu professor de Biologia, o Douglas, mas foi difícil confirmar. A maioria queria ir pra Itatiaia, mas devido a alguns problemas só sobrou Ilha Grande como opção, isso faltando dois dias pra viagem, que foi decidida na comemoração do aniversário da Tainá.

A expectativa era de que fosse um grupo grande com o Douglas. Ao chegar na rodoviária encontramos meu professor com mais sete e viríamos a encontrar mais umas vinte pessoas em Mangaratiba. Mas no fim, apenas quinze pessoas iriam fazer o percurso, sete do nosso grupo e mais oito do meu professor.

Continue lendo Ilha Grande, muito grande

Descobrindo o Cocanha

Encontramos três pessoas no cume do Cocanha, e como havíamos visto no mapa que havia um lugar chamado Platô do Céu, resolvemos conferir. Nem subimos o cume do Cocanha e continuamos andando até uma trilha que descia vertiginosamente, sempre com vista para a Pedra da Gávea. Como já eram 17:10, e queríamos ver o pôr do sol, resolvemos deixar para o dia seguinte a ida ao Platô do Céu.

Continue lendo Descobrindo o Cocanha

Pico das Agulhas Negras

Nos deparamos então com uma enorme pedra e o pessoal avistou um grampo no alto. Tentamos subir de alguma forma, mas não conseguimos. Comecei a contornar a pedra para a direita, tentando achar alguma passagem e fui vendo que a pedra ia ficando cada vez mais alta e íngreme. Ao escutar o resto do grupo perguntando se era aquele o caminho, disse que ainda não havia achado, pois não tinha certeza ainda. Finalmente achei uma fenda e comecei a subir para a esquerda, mas passei por alguns caminhos bem difíceis.

Continue lendo Pico das Agulhas Negras

A Travessia Petrópolis-Teresópolis

Comecei a ficar preocupado. Luizão estava determinado a seguir por ali, e não adiantou eu e Filipi pedirmos calma para estudar a situação. Luizão impaciente e teimoso que é, foi em frente, vendo um tótem mais abaixo e traçando uma reta começou a avançar se agachando para se manter próximo a pedra. Vendo aquilo e antevendo uma possível tragédia, quase implorei para ele não ir, dizendo que eu estava com medo, foi o que fez ele pensar.

Montanhismo e Aventura.