Arquivo da tag: dedo de deus

Cabos de aço do Dedo de Deus são removidos

De acordo com publicação da Federação de Montanhismo do Estado do Rio de Janeiro, FEMERJ, no dia 8 de janeiro foi constatada a retirada dos cabos de aço dos primeiros lances da escalada da montanha que é símbolo da Serra dos Órgãos.
Cabos de aço
Cabos de aço – Foto: Silvia Batalha

As rotas equipadas com cabos de aço ou escadas metálicas fixadas na rocha são chamadas de vias ferratas e servem para agilizar a escalada em trechos sem agarras ou apoios naturais, muito lisos ou muito longos. Também são utilizados em caminhos de grande frequência para a proteção da vegetação. Curiosamente também foram responsáveis por muitos acidentes devido à facilidade de acesso por meio de pessoas despreparadas e muitas das vias equipadas originalmente desta forma foram modificadas, tendo sido os cabos parcial ou totalmente removidos. Atualmente não se conquista mais vias desta forma, mas algumas ainda são mantidas também como forma de preservar a pluralidade de estilos da escalada e a lembrança de conquistas históricas. Porém a autoria desta ação ainda é desconhecida e a remoção foi executada sem consenso da comunidade montanhista. Continue lendo Cabos de aço do Dedo de Deus são removidos

10ª Mostra Internacional de Filmes de Montanha sobe a Serra

 Este ano o evento fez 10 anos, trouxemos para o Rio 11 filmes estrangeiros, incluindo um longa em 35mm, e exibimos 12 produções nacionais. E agora estamos levando parte da Mostra para Teresópolis, uma cidade com tradição no montanhismo por conta da Serra dos Órgãos e suas montanhas, e para um público especial que são os alunos das escolas públicas. Além de sessões gratuitas para o público em geral. 

Continue lendo 10ª Mostra Internacional de Filmes de Montanha sobe a Serra

Notícias do Festival de Filmes de Montanha 2010

Já está certo o filme “Alone on the Wall”, de Peter Mortimer e Nick Rosen (E.U.A.) na Mostra Banff. O filme recebeu o prêmio do Clube Alpino Italiano como o melhor filme sobre montanhismo no festival de Trento, Itália.

Alex Honnold, um dos maiores escaladores americanos da atualidade, faz uma escalada solo na mítica parede do Half Dome em Yosemite. Durante sua escalada Alex arrisca lances de deixar qualquer um arrepiado e com as mãos suadas. Tanto que durante a escalada houve momentos de pânico por parte do escalador.

Realmente imperdível!

Outro filme premiado em Trento que deve entrar na Mostra Banff é o “Birdman do Karakoram”, de Hughes Alun (Grã-Bretanha).

O filme consegue a difícil tarefa de envolver o espectador em uma das aventuras mais inovadoras e de extrema dificuldade no Himalaia. O diretor Alun Hughes, preso no parapente de dois lugares de John Silvester, sem oxigênio a mais de 6.000 metros, assustado, congelando e sempre à beira da crise, faz-nos ver os picos do Himalaia a partir de uma perspectiva totalmente nova. A passagem pela colina Shispare quase ao vivo é uma seqüência que vai entrar na história dos documentários de aventura. (texto retirado do site do Trento Mountain Film Festival)

O DVD do Caminho Teixeira já está a venda no CEB, na loja da Equinox e no site da Cia da Escalada. Em breve exposição fotográfica deste documentário.

Entrevista com Arthur Estevez

Debaral A3Todo montanhista tem várias estórias de viagens e perrengues. Em entrevista aos seus apoiadores Proativa e Deuter, Arthur conta algumas de suas estórias e revela que sua simplicidade é a principal razão de seu carisma no meio montanhista. Continue lendo Entrevista com Arthur Estevez

Descobrindo a Via Leste do Dedo de Deus

Quando cheguei nesse ponto, os dois me disseram que a próxima escalada eu guiaria, pois era o meu estilo! Aceitei prontamente, mas desconfiando que estilo seria esse… Dois grampos e uma curva depois, descobri que só poderia ser o estilo de se fuder, porque eu estava numa rampa de aderência bem inclinada com somente um entalamento de mão à esquerda e uma pedra formando uma espécie de canaleta onde eu empurrava minhas costas contra para não escorregar. Abaixo de mim somente o vazio. A mochila atrapalhava muito com as botas volumosas dentro e, em alguns pontos, não era possível entalar a mão esquerda. Começou a passar pela minha cabeça desistir, senti escorregar um pouco, blasfemei pela lama do diedro inicial na minha sapatilha, o grampo que era longe, tentei tirar um friend, me preparei para uma queda linda de uns dez metros, pêndulos, ficar pendurado no vazio… Continue lendo Descobrindo a Via Leste do Dedo de Deus