Avalanche no Mont Blanc deixa oito desaparecidos

Equipes de socorro rastrearam zona apoiadas por três helicópteros. 

Segundo ministra, não há esperança de encontrar sobreviventes.

O caminho do deslizamento na face noroeste do Mont Blanc du Tacul. Um serac se rompeu e deu início à avalanche aproximadamente Às 3 horas da madrugada.

Uma avalanche ocorrida de sábado para domingo (24) no pico do Tacul, no Mont Blanc, deixou pelo menos oito pessoas feridas e oito desaparecidas, informou a ministra do Interior, Michelle Alliot-Marie. Ela destacou que não há esperança de encontrar os desaparecidos com vida.

“Não há nenhuma possibilidade de encontrar algum sobrevivente”, declarou a ministra, que foi à área do acidente. As equipes de socorro, formadas por 40 profissionais, rastrearam a zona apoiadas por três helicópteros. Essa operação de resgate foi suspensa por risco de descolamento de placas de neve.

Foto: Reuters

Equipes rastrearam a zona apoiadas por três helicópteros. (Foto: Reuters)

Alliot-Marie acrescentou que é extremamente difícil saber com certeza quantas pessoas ficaram presas na avalanche. Ela disse, no entanto, que “graças aos meios técnicos, tem certeza de haver gente sob a monumental avalanche de neve”.

As autoridades tinham informado anteriormente que, dos desaparecidos, cinco eram austríacos e três suíços. Cinco dos feridos são franceses e os outros três são italianos, com idades entre 26 e 37 anos. A avalanche teve uma largura de 200 metros e um comprimento de 50 metros.

Alliot-Marie também visitará os feridos no hospital de Sallaches, para se reunir depois com as equipes de socorro que participam da operação, indicou o ministério em comunicado. O prefeito de Chamonix, Eric Fournier, cortou durante o domingo (24) o acesso aos alpinistas ao pico de Tacul.

Foto: Reuters

Helicópteros foram usados por equipes de resgate. (Foto: Reuters)

Alpinistas desaparecidos no Mont Blanc são suíços, alemães e um autríaco

CHAMONIX, França (AFP) — Os oito alpinistas mortos no domingo por uma avalanche no Mont Blanc, o pico mais alto da Europa, foram identificados como um austríaco, quatro alemães e três suíços, e não franceses como se achava anteriormente, informou nesta segunda-feira, em Chamonix, uma fonte da gendarmeria francesa.

“Vários desaparecidos foram localizados mediante sete freqüências de rádio emitidindo seus ARVA (em francês são os aparelhos de busca de vítimas por avalanche) no pico de Mont Blanc, mas o trabalho de recuperação dos corpos não pôde ser realizado por causa da periculosidade do terreno”, declarou o capitão Régis Lavergne, comandante do pelotão de gendarmeria de Alta Montanha (PGHM) de Chamonix, nos Alpes franceses.

Os oito alpinistas desapareceram ni domingo em uma avalanche em Mont Blanc, nos Alpes franceses. Os trabalhos de busca foram suspensos devido ao risco de novos deslizamentos das placas de neve, elevado por causa da elevação das temperaturas.

A ministra do Interior, Michele Alliot-Marie, afirmou, por sua vez, que não há chances de encontrar com vida nenhum dos oito alpinistas desaparecidos.

“Foi uma avalancha monumental, sem escapatória para os montanhistas”, afirmou a ministra.

O incidente também deixou oito pessoas feridas, franceses e italianos, que foram socorridas.

Um italiano que conseguiu escapar, Marco Delfini, explicou que seus colegas por arrastados cerca de 200 metros por um “muro de gelo”.

“Não afundei totalmente na neve, por isso pude ajudar os outros”, controu Delfini.

A avalancha aconteceu no lado norte do Mont-Blanc de Tacul (4.248 m), um pico do Mont-Blanc, a 3.600 metros de altitude.

O deslizamento atingiu a ladeira norte do Mont Blanc du Tacul (4.248 m), uma área muito freqüentada pelos alpinistas que se encaminham para o Mont Blanc, o chamado “Teto da Europa”, de 4.810,90 metros.

O incidente eleva para mais de cem o número de pessoas mortas nos Alpes franceses desde o início do verão europeu.

Deixe um comentário