Bombeiros resgatam casal no Dedo de Deus

– Dupla não conseguiu achar rapel e passou a noite em caverna

Marco do montanhismo nacional, o Dedo de Deu

– Dupla não conseguiu achar rapel e passou a noite em caverna

Marco do montanhismo nacional, o Dedo de Deus atrai escaladores de todo país e até do exterior. Desses, muitos procuram as diversas vias da montanha sem obter algumas informações de extrema importância para o sucesso da aventura. Como resultado, ontem mais duas pessoas passaram dificuldades na escalada e precisaram de ajuda do Corpo de Bombeiros.

Os homens do 16º GBM subiram a íngreme trilha até a base da montanha e pegaram as dezenas de lances de cabo de aço na manhã desta terça-feira, com a informação de que um casal estava preso em um dos rapéis da Teixeira (via da conquista do Dedo). Luiz Felipe Mendes, 49, e Carla Dias, 41, haviam escalado a face leste da montanha no dia anterior e, na descida pelo outro lado, não encontraram o último lance antes de pegar a trilha de volta. Acabaram passando noite e madrugada chuvosas abrigados em pequena caverna, em um platô a mais de 500 metros de altura. Segundo os Bombeiros, a forte neblina atrapalhou o casal – que mora em Campinas, São Paulo – na hora de encontrar os últimos grampos.

“Eles estavam bem porque conseguiram abrigo e tinham agasalhos e alimentação. Subimos pela Teixeira e os encontramos no platô. O que dificultou o resgate foi a trilha (bastante íngreme) e os cabos de aço molhados”, conta o Cabo Cordeiro. Além dele, participaram da operação o Capitão Fabio Dutra, Tenente Calegari, SubTenente Nascimento, Sargento Duarte, Cabo Farah, Cabo Carlúcio e Cabo Fidélis.

Coincidentemente, no último sábado outro grupo de São Paulo esteve naquela montanha e, na hora de descer, contou com a orientação de escaladores locais. “Eram oito pessoas. Eles não estavam perdidos mas, como somente alguns deles haviam feito a escalada e há bastante tempo, pediram para descer conosco para não passar nenhuma dificuldade”, explica José Henrique Gomes, que faz parte da diretoria do Centro Excursionista Teresopolitano.

O resgate realizado ontem pelo Corpo de Bombeiros é só mais um desse tipo. Nos últimos anos foram vários realizados por equipes do 16º GBM que têm curso especializado para resgate em montanha. Na semana passada, dois rapazes e uma menina pegaram um atalho na trilha da Pedra do Sino e precisaram de ajuda.

 

Marcello Medeiros

Deixe um comentário