Como melhorar suas fotos de natureza

Dicas do renomado fotógrafo de natureza Araquém Alcântara.

01 LUZ

Os melhores horários para fotografias externas são ao amanhecer – das 6 h às 9 h – e no final da

Dicas do renomado fotógrafo de natureza Araquém Alcântara.

01 LUZ

Os melhores horários para fotografias externas são ao amanhecer – das 6 h às 9 h – e no final da tarde – das 16 h em diante. Das 10h às 14h a luz é “dura”, muito forte, portanto para fotografar pessoas nesse horário, é melhor que elas estejam posicionadas à sombra.

 

02 POLARIZADOR

 

Fundamental para fotos coloridas, esse filtro realça as cores, como o azul do céu, e elimina reflexos indesejados em superfícies aquáticas, vidros e folhagens. O efeito do polarizador será maior quando a câmera estiver posicionada a 90° da luz do sol.

 

03 ENQUADRAMENTO

 

O melhor é aquele que descentraliza o objeto principal da imagem. Como os gregos descobriram há 2.500 anos, o belo é assimétrico. Antes de fazer a foto, observe-a nos mínimos detalhes, repare, busque novos ângulos e então faça sua escolha.

 

04 PLANOS

 

A fotografia de natureza procura mostrar um ambiente e trazer a pessoa que vê a foto para dentro dele. A melhor forma de se conseguir esse resultado é mostrar mais de um plano. O ideal é focar três planos, mas se isso não for possível, tenha o primeiro plano sempre focado e deixe os mais distantes sem foco.

 

05 ESCOLHA DA LENTE

 

Prefira lentes da mesma marca que o corpo da sua câmera. Quanto mais luminosa a lente, melhor:então procure as que tenham o diafragma(F) bem aberto(2.8). Sugestão para um bom conjunto de lentes: uma grande angular 28 mm, uma zoom 80-200 mm e uma intermediária 55, 60 ou 105 mm, que também seja macro. A lente macro possibilita que você fotografe detalhes de plantas, animais, texturas e objetos pequenos.

 

06 ESCOLHA DO FILME

 

Para fotografar em dias claros e ensolarados, use filmes de baixa sensibilidade (ASA 50 ou 100). Em dias nublados ou espaços fechados, use filmes de ASA 200 ou 400.

 

07 TRIPÉ

 

Use o tripé quando o tempo de exposição for inferior à distância focal da lente em uso. Para uma lente de 50 mm, por exemplo, use tripé quando o tempo for inferior a 1/50s. Não confie em suas mãos, pois a foto acaba saindo tremida.

 

 

08 VELOCIDADE

 

Controlando a velocidade, você pode tanto impedir que o movimento do objeto estrague sua imagem quanto aproveitar este movimento para criar efeitos desejados. Para congelar a imagem de uma cachoeira, por exemplo, use velocidade 1/250 ou 1/500. Para dar um leve efeito de movimento à água, 1/8, e para dar um efeito de véu branco, a velocidade deve ser de 1 s ou mais, sempre com tripé.

 

09 PÔR-DO-SOL

 

Para fotometrar corretamente uma imagem de pôr-do-sol, faça a medição da cena com o sol fora do visor e só então o enquadre. Em vez de fotografar o sol sozinho, procure enquadrar um motivo em primeiro plano para enriquecer o resultado.

 

10 EM VIAGENS

 

Tenha a câmera sempre à mão, ligada e fotometrada para a luz do momento. Leve filmes extras e com sensibilidades diferentes e mantenha-os abrigados do calor intenso – sol direto em cima deles.

 

11 CUIDADOS

O equipamento é muito caro, então é melhor cuidar bem dele. É sempre bom levar uma toalha e uma capa impermeável, que vão protege-lo do calor, do frio, da chuva e da poeira. Lembre-se de trocar as pilhas da câmera e do flash toda vez que retornar de uma viagem.

 

12 FLASH

 

Ao utilizar o flash, procure jogar uma luz indireta ou rebatida para não escurecer o fundo nem sombrear o objeto principal. Em algumas ocasiões o ideal é usa-lo apenas como uma luz de enchimento (fill-in), mas só os flashes mais modernos possuem esse mecanismo.

 

13 BRACKETING

 

Trata-se de um recurso utilizado para se alcançar a exposição correta para fotografar determinada cena. Significa não apenas seguir o que o fotômetro indica, mas também experimentar abrir e fechar ½ e 1 ponto no diafragma. A mesma variação pode ser feita com a velocidade.É importante em situações com muita variação de cores e cenas com superfícies muito escuras ou muito claras, como dunas, neve e brilhos na água.

 

 

 

        Tais dicas aplicam-se a fotos feitas no método tradicional com câmeras que permitem controle total do fotógrafo. Atualmente, predominam câmeras com controle totalmente automático(paralax e digitais) o que inviabiliza algumas dicas acima.

Revista Istoé. Edição Especial: Pólos de Ecoturism

Deixe um comentário