Incêndio

Incêndio chega ao Parque Nacional da Serra dos Órgãos

Fauna morta no incendioFocos do incêndio que atingem áreas de vegetação no município de Petrópolis, na Região Serrana, desde a semana passada chegaram a uma área dentro do Parque Nacional da Serra dos Órgãos nesta segunda-feira. Segundo o chefe da unidade de conservação federal Leandro Goulart, as chamas estão concentradas no distrito de Bonfim, em Corrêas. Um balanço divulgado pelo Corpo de Bombeiros revela que, até o meio-dia desta segunda-feira, 2.200 hectares de mata já haviam sido consumidos pelas chamas na cidade. A área corresponde a 2.200 campos de futebol.

— Esses focos começaram há uma semana. No fim da tarde, o fogo avançou pela mata na região do Mata Porcos e hoje (segunda-feira) já está dentro do parque. Devido à seca e ao calor, este incêndio ainda não foi controlado. Ele já destruiu 150 hectares nas regiões do Bonfim e Mata Porcos — explicou Goulart.

APOIO DE HELICÓPTEROS E DE MILITARES DO RIO

O combate ao incêndio no Parque Nacional da Serra dos Órgãos é feito em paralelo ao trabalho dos bombeiros e de brigadistas do Instituto de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), da Reserva Biológica de Araras e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) em outros pontos do município. Durante toda esta segunda-feira, 130 homens do Corpo de Bombeiros atuaram para conter as chamas em 13 pontos. Há uma semana, o número de áreas atingidas chegava a 20. Dentro do parque, o trabalho é feito por 45 brigadistas, além de voluntários, com o auxílio de três helicópteros. Segundo o comandante do Corpo de Bombeiros na Região Serrana, coronel Roberto Robadey Jr., os quartéis de Petrópolis e Teresópolis receberam o apoio de 90 militares vindos do Rio de Janeiro.

2014-759693157-incendio2.jpg_20141013[1]

— As equipes vão pernoitar aqui, e amanhã (terça-feira) às 6h30m voltarão aos locais para retomar o trabalho onde os focos não foram controlados, e verificar se é preciso rescaldo nos locais em que o fogo foi extinto. Sabemos que ainda existem pontos preocupantes, como a localidade Mata Porcos, em Corrêas, e o Retiro das Pedras, em Pedro do Rio — explicou o coronel Robadey Jr, acrescentando que a previsão é a de que o fogo esteja controlado em dois dias. — Amanhã (terça), contaremos com o apoio de novas aeronaves.

Segundo Leandro Goulart, uma base foi montada no Bonfim para dar apoio às operações no Parque Nacional da Serra dos Órgãos, que abriga 3.683 espécies da fauna e flora, sendo 883 delas animais – 130 dos quais ameaçados de extinção. Alguns deles se feriram e foram resgatados, mas brigadistas encontraram animais carbonizados.

— Infelizmente temos animais que não resistiram — lamentou Goulart, acrescentando que 21 brigadistas do Ibama e outros 24 do ICMbio foram deslocados para a unidade de conservação. — Este é o maior incêndio registrado na região este ano.

MORADORES SOFREM COM FULIGEM E FUMAÇA

Também nesta segunda-feira, o fogo consumiu áreas de mata em regiões como Secretário, Brejal, Manga Larga, Santa Mônica, Corrêas, BR-040, Vale das Videiras e Nogueira. O cheiro de queimado, a fumaça e a presença de fuligem têm sido um tormento para moradores como a escritora Sônia Hirsch, que vive no distrito de Secretário:

— Está queimando área de mata por todos os lados, e percebemos que não há estrutura de combate ao incêndio. A reserva de água é mínima. Ontem (domingo), os bombeiros chegaram a ficar sem água. A estrutura é muito precária.

Pela manhã, Ricardo Ganem, chefe da Reserva Biológica de Araras, acompanhou o combate aos focos de incêndio em Secretário. À tarde, brigadistas da reserva tentavam conter as chamas na Estrada da Manga Larga, em Itaipava, e no Vale das Videiras.

— Os focos ainda estão longe da área da reserva, mas a situação é preocupante. É preciso que as pessoas se conscientizem de que provocar estes incêndios é crime. É preciso que parem de queimar lixo ou fazer queimadas para limpeza de terrenos, pois estas são as principais causas destes incêndios florestais que destroem as matas todos os anos — alertou.

Deixe um comentário