Cume do Domuyo

Quatro montanhistas com diabetes fizeram cume do Cerro Domuyo

Quatro diabéticos, entre eles dois brasileiros, escalaram o Domuyo, conhecido como o ‘Teto da Patagônia’, para promover o esporte como ferramenta para melhorar a qualidade de vida das pessoas com diabetes..

 As temperaturas abaixo de -20ºC e as fortes rajadas de vento não os fizeram desistir, ao contrário, os animaram mais ainda para cumprirem o objetivo de “promover o esporte como ferramenta para melhorar a qualidade de vida das pessoas com diabetes.”

Dois brasileiros estavam no grupo, o carioca Flavio Doce e o paulista Alexei Caio, composto também pelo argentino Fernando Rodríguez e o Uruguaio Abayuba Rodríguez.

Os atletas diabéticos que fizeram cume do Domuyo, de 4.709 metros, formam parte da Equipe Diabesport e nesta oportunidade o projeto denominou-se “Bandeira ao Céu”.

Trabalhar sem descanso, participando em vários esportes para “demonstrar que as pessoas com diabetes podem desenvolver qualquer atividade física sem limitações” é uma das premissas que mobiliza estes jovens, que na última sexta feira, após cinco horas desde o acampamento alto, montado aos 3.800 metros, e com “muito trabalho de equipe”,alcançaram o cume do imponente Domuyo.

“Iniciamos 2008 da melhor maneira possível, porque escalamos o Domuyo, relata Abayuba Rodriguez, diretor esportivo da equipe e a quem denominam como o “homem de ferro”.

domuyo-bandera-al-cielo-076[1]“Conseguimos fazer o cume do maior vulcão patagonico no dia 17 de janeiro às 12:30.
Todos estavam muito bem controlados com relaçao ao diabetes, somente eu apresentei mal de montanha no trecho final de ataque ao cume, lá pelos seus 4500 m.
Fiquei no cume por 10 minutos, assinei o livro e tirei umas fotos antes de baixar.
A subida do vulcão Domuyo não é uma subida técnica, mas é muito exigente, com aclives que superam a inclinação de 70 graus, o que faz com que o ataque ao cume desde o acampamento 1 se torne pesada.”, relata Alexei Caio que também faz parte do grupo Trekking & Travessias no Brasil.
Esse ano na região da cordilheira do vento, não se formou muita neve, por isso a equipe só teve que fazer 300 m de gelo, com grampons.

Após a subida do Domuyo, a equipe, que também já participou da maratona de Buenos Aires e de um triatlo, não quer parar. Em abril participarão dos 150 kilometros da Volta a Ilha de Florianópolis, como preparação para subir os 5.470 metros até o cume do Cerro Vallecito, vizinho do Aconcágua. Para o ano seguinte, já estão programadas a travessia de los Andes Argentina – Chile, modalidade de prova de corrida contínua em relevo com 504 Km, Audax Brasil, uma prova de mountain bike non-stop de 1200 Km, e o Endurance do Río – Brasil corrida de aventura de 4 días de duração e 320 Km

Site da organização: http://www.diabesport.com

Deixe um comentário