Arquivo da categoria: Relatos

Relatos de aventuras e escaladas.

ATENÇÃO! Alguns fatos relatados aqui são provenientes de erros de planejamento ou riscos inerentes do montanhismo, canoagem, cicloturismo, etc. Pessoas que praticam esportes de aventura e atividades em ambiente natural estão sujeitas a quedas, afogamento, envenenamento, hipotermia, paralisia, amputação, desaparecimento em áreas selvagens, etc. Não incentivamos ninguém a se aventurar sem procedimentos de segurança ou conhecimento específico para a atividade pretendida.

Pico da Bandeira

Rastreando o caminho e quase que farejando a trilha, depois de nos perdermos um pouco, chegamos no fundo do vale e tomamos a direção norte para tentar encontrar a trilha de volta. Novamente caminhávamos por gramíneas, tentando seguir uma trilha-fantasma, ou um tênue sinal de que aquele chão já fora pisado um dia. Brinquei novamente dizendo que a luzinha do perrengue já tinha começado a piscar e a escuridão chegou acabando com qualquer esperança de nos mantermos em uma trilha.

Continue lendo Pico da Bandeira

Dilúvio na Pedra do Frade

Pedra do Frade

Conforme a chuva ia aumentando a canaleta em volta da barraca já não dava mais conta e para piorar ainda mais, o lugar onde estávamos era fechado e não havia lugar para a água escorrer. Não ia demorar muito e todo aquele lugar iria virar uma piscina. A barraca do Rogério, que estava na parte mais baixa foi a primeira a se encher de água.

Continue lendo Dilúvio na Pedra do Frade

Estrada Real de Bike

Qualquer um fica fascinado quando assiste competições de aventura e não foi diferente comigo. A medida que elas foram se tornando cada vez mais populares e mais acessíveis com as competições nacionais e de duração de 1 ou 2 dias, eu e meus amigos começamos a pensar cada vez mais na hipótese. Foi quando eu tomei conhecimento de uma corrida que haveria no final de outubro e pensando nisso, comprei minha bicicleta e entrei de cabeça nesse novo esporte. Faltava agora treinar e inventei de ir visitar meu amigo Billy que estava agora morando em Juiz de Fora, só que eu iria pedalando! Comecei a contar minha idéia para Alessandro que também se animou e tratou de procurar uma bicicleta usada para comprar. A idéia seria comprá-la, mas deixar lá em Minas com Filipi Billy Jean que queria uma bike para poder competir comigo na corrida de aventura. Logo Luizão ficou sabendo e resolveu montar uma boa bike com as duas que ele tinha em casa. Com alguma ajuda minha e uma ou outra peça da outra bike, finalmente ressuscitamos uma bicicleta que já estava guardada a um bom tempo toda desmontada.

Continue lendo Estrada Real de Bike

Gelo na Eslováquia

Na primeira vez que saí do Brasil, me perguntavam: “-Europa tudo bem, mas por que Eslováquia?” Eu havia conhecido uma menina chamada Kristina da República Tcheca pelo ICQ e ela me convidou para ir passar um tempo com ela , os amigos e a família, nas montanhas da Eslováquia. Aproveitando uma passagem mais barata que minha irmã arrumou como comissária de bordo, treinei meu inglês, arrumei um dinheiro e fui.

Continue lendo Gelo na Eslováquia

Pico do Papagaio 2004

Estou na barca Lagoa, no percurso Mangaratiba – Ilha Grande. São 08:00 h de uma manhã de domingo ensolarada. Fico a contemplar as pessoas, o mar, as aves, o balanço gostoso que me faz retornar à cadeira de balanço de papai… Limpo a mente de todos os problemas e mentalizo minhas energias para aquela montanha que cresce em minha frente com uma postura arrogante como quem diz: “poucos conseguem chegar ao meu cume, poucos se atrevem a pisar meu corpo, poucos se atrevem a fincar estacas em meu rosto, mas para aqueles que persistem, que não desistem na primeira adversidade, guardo uma pequena jóia: a visão do paraíso. Uma imagem que marcará sua alma tal como um ferro em brasa na sua carne.” Continue lendo Pico do Papagaio 2004

Serra Fina – A Super Travessia

O cansaço já abatia os ânimos, quando chegamos na base do Alto dos Ivos, já eram cinco horas da tarde e iam fazer dez horas desde que começamos a andar. Luizão e Rafael estavam um pouco mais atrás e acho que passou pela cabeça de alguém acampar ali, já que havia um pequeno descampado, mas eu continuei subindo e Billy me seguiu por um caminho que se assemelhava muito à subida do Pico dos Três Estados, íngreme como uma parede e escorregadio como um sabão.

Continue lendo Serra Fina – A Super Travessia

A Travessia Petró-Tere que terminou no Açú

Acordei com o dia claro e o Alessandro em pé na minha frente reclamando que eu não tinha feito a comida deles, olhei para o fogareiro e o gás havia acabado e a água na panela estava fria. Perguntei as horas e eram sete da manhã. Alguns minutos depois chegaram Thatianna e para minha surpresa, Rodrigo, cujo apelido é Mestre, e Daniela também. Daniela xingava muito e dizia a todo momento que iria voltar dali. Thatianna se desculpava por estar dando trabalho, mas não víamos um jeito de deixar elas voltarem sozinhas, tentei convencê-las a ir pelo menos até o Açú, pois poderiam de repente acompanhar algum outro grupo descendo.

Continue lendo A Travessia Petró-Tere que terminou no Açú

Lua de Mel de Aventura

Dia 03/01/2002 – Chegando em Palmas:

A nossa preparação para esta viagem foi bem corrida em virtude de estarmos chegando de uma outra viagem, Simone e eu estávamos em Boa Esperança no sítio do meu cunhado passando o Reveillon. Compramos os nossos mantimentos no dia 2 e arrumamos as mochilas no mesmo dia, ficamos sem dormir e chegamos a rodoviária às 4:00 da manhã, fomos até Mangaratiba e pegamos um barco para Palmas, que parecia ter sido fretado por nós, já que só havíamos nós dois no barco. Continue lendo Lua de Mel de Aventura

Ilha Grande, muito grande

Essa viagem já tinha sido marcada desde o início do ano pelo meu professor de Biologia, o Douglas, mas foi difícil confirmar. A maioria queria ir pra Itatiaia, mas devido a alguns problemas só sobrou Ilha Grande como opção, isso faltando dois dias pra viagem, que foi decidida na comemoração do aniversário da Tainá.

A expectativa era de que fosse um grupo grande com o Douglas. Ao chegar na rodoviária encontramos meu professor com mais sete e viríamos a encontrar mais umas vinte pessoas em Mangaratiba. Mas no fim, apenas quinze pessoas iriam fazer o percurso, sete do nosso grupo e mais oito do meu professor.

Continue lendo Ilha Grande, muito grande