Foto: Divulgação/Cris Mendez/Associação dos Condutores de Visitantes do Vale do Capão

Trilha da Cachoeira da Fumaça é interditada após retorno de fogo na Chapada Diamantina

Raios provocaram novos focos de incêndio em Lençóis e Ibicoara

A trilha que dá acesso à Cachoeira da Fumaça, no Vale do Capão, está fechada ao público desde sábado por conta de um novo foco de incêndio na Chapada Diamantina. O fogo, que começou há cerca de dez dias após um raio, na região do Boqueirão, já havia sido controlado. “Choveu, a gente sobrevoou a área por dois dias consecutivos. Realmente, a situação parecia extinta e, no entanto, quatro dias depois voltou a manifestar fumaça e recomeçou o fogo, afirmou o analista ambiental do Parque Nacional da Chapada Diamantina (PNCD), Pablo Casella.

A interdição foi comunicada no início da madrugada deste domingo pela Associação dos Condutores de visitantes do Vale do Capão (ACV-VC): “É com muito pesar que informamos que a Cachoeira da Fumaça, desde já, encontra-se interditada devido a expansão a linha de fogo que se encontra atualmente descendo a trilha do 21, atingindo também a Fumaça de Baixo. Veja imagens do Capão durante a madrugada.

Mais tarde, a ACV-VC disse que a interdição se dava por conta da grande quantidade de fumaça no local. “Há focos de difícil acesso em paredões, em locais que oferecem risco de vida aos brigadistas. Estes focos só poderiam ser extintos com auxílio do bambi (bolsa de água) que é carregada por um helicóptero. Porém, nenhum dos três helicópteros disponibilizados para combate conseguem carregar a bolsa”, diz informativo.

Segundo Pablo Casella, do PNCD, ainda há dúvidas se o foco que surgiu há quatro dias no Capão é uma reignição – ressurgimento de foco já extinto – numa área muito próxima do anterior, ou se, desta vez, algum incendiário provocou as chamas. “A trilha está fechada, seria muita irresponsabilidade deixar a trilha aberta. Está tudo muito denso, fumaça, fogo”, declarou o presidente dos Combatentes de Incêndios Florestais de Andaraí (Cifa), Homero Vieira.

Além do fogo no Capão, outros quatro focos surgiram no sábado: três em Ibicoara, provocados por raios, e um em Lençóis. A chuva que cai há três dias sobre a Chapada conseguiu debelar o fogo em Lençóis, mas a situação em Ibicoara, segundo os brigadistas, é grave. “Está complicado, nós estamos fazendo o possível, mas é difícil por conta da mobilidade. Eu falei com o pessoal hoje para ver se amanhã mandam um helicóptero para Ibicoara, porque vamos ter que andar pelo menos seis ou sete horas para chegar no fogo”, disse Homero.

O secretário estadual de Meio Ambiente da Bahia, Eugênio Spengler, afirmou que 20 homens do Corpo de Bombeiros chegaram neste domingo à região. Ele também pediu apoio ao Exército com mais dois helicópteros que haviam sido desmobilizados. Um reforço com mais 42 homens do Corpo de Bombeiros deverá chegar à região nesta segunda-feira, 7. “A situação é preocupante, mas a gente está mobilizando toda a equipe para tentar controlar. Ontem (sábado) teve também uma situação muito incomum lá, ventos muito fortes que impediram inclusive o uso de helicópteros e ação de combate”, disse.

No momento, 80 brigadistas voluntários atuam no combate ao fogo em Ibicoara e no Vale do Capão. Também há 12 brigadistas do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) no Capão e outros dois em Ibicoara. Já o secretário Eugênio Spengler afirmou que 20 bombeiros chegaram nesta domingo à Chapada para ajudar no combate às chamas.

Deixe um comentário